Dia Internacional da Animação (DIA)

Prepare-se para embarcar nessa aventura animada. No dia 28 de outubro, o Dia Internacional da Animação (DIA) chega a 230 cidades do Brasil, revelando novos e já consagrados nomes da animação nacional. Neste ano, 100 curtas-metragens de vários estados do país foram inscritos para o evento que comemora a primeira projeção pública de imagens animadas, por Émile Reynaud, em 1892, em Paris.  O evento acontece em 51 países no mundo todo, como França, Portugal, Estônia, Romênia, Camarões, Rússia, Grécia, Egito, Bulgária, Estados Unidos, Canadá, Austrália, África do Sul, Coréia do Sul, dentre outros.  No Brasil, a organização do evento é da Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA) e visa difundir o cinema de animação no país, formando plateia e revelando novos talentos. A mostra foi criada pela Associação Internacional do Filme de Animação (ASIFA) e chega este ano à 11ª edição no Brasil.  Apesar de ter uma mostra infantil, o Dia Internacional da Animação é essencialmente uma atração para os adultos. A entrada é gratuita.

“O intuito principal do DIA é a formação de público, por isso o evento vai a lugares que muitas vezes nem têm cinema ou mostras de cinema. Este ano, o evento acontece em 230 cidades nas cinco regiões do Brasil”, ressalta o idealizador do DIA, Marcelo Marão.

Neste ano foram inscritos 100 curtas-metragens de animação de vários estados brasileiros. Destes, dez foram selecionados para a Mostra Nacional e nove para a Mostra Infantil.  Outros dez curtas-metragens compõem a Mostra Internacional. Completando a lista de filmes nacionais e, com o objetivo de resgatar a história do cinema de animação brasileiro, a coordenação de júri selecionou o filme ‘Frivolitá’ (1930), de Luiz Seel, que abrirá o programa brasileiro.  ´Frivolitá’ conta a história de uma mocinha coquete e modernista que, querendo dormir até mais tarde, tem de enfrentar o despertador, o gramofone e um bando de gatos. Um dos trechos de Frivolitá foi produzido com som óptico. Apesar de ter sido produzido há 84 anos, o curta é inédito no DIA. “O filme esteve perdido por quase setenta anos e foi restaurado no ano passado. Esta será a primeira exibição pública do curta após sete décadas desaparecido. O filme tem apenas três minutos e foi animado em técnica tradicional 2D, desenhado no papel e finalizado em acetato, filmado com truca, montado na moviola e finalizado em película”, descreve Marão . O evento traz, ainda, uma mostra especial para deficientes visuais, com audiodescrição, e outra para deficientes auditivos, além da Mostra Ambienta. “Cada cidade também tem liberdade para fazer suas mostras. É o que acontece, por exemplo, nos casoS da Mostra Carioca e Mostra Paulista, de caráter regional”, conta Marão.

O DIA traz um panorama da animação brasileira, apresentando não só curtas-metragens de diferentes locais do Brasil, como também produções que utilizam diferentes técnicas de animação, como massinha de modelar, desenho a mão, stop motion de objetos, computação gráfica 2D, animação direto na película e animação de areia. O júri de seleção foi composto por Alexandre Dubiela (MG), Nara Normande (PE), Sérgio Nesteriuk (SP), Márcia Deretti (GO) e Paulo Muppet (SP). A curadoria da Mostra Internacional foi selecionada pelos diretores Nara Normande (PE), Diego Akel (CE), Sávio Leite (MG) e Marcelo Marão (RJ).

Abaixo os filmes selecionados para o DIA 2014:

SESSÃO OFICIAL – MOSTRA NACIONAL – (58min)

– Frivolitá, de Luis Seel – 1930 (03’00″)
– Erros – Dir. Rodrigo Soldado (9’19”)
– Lambada com Farinha – Dir. Thomate (4’37”)
– Jam – Piscar de Olhos – Dir. Cesar Cabral (2’29”)
– Fluxos – Dir. Diego Akel (2’42”)
– A Pequena Vendedora de Fósforos – Dir. Kyoko Yamashita (9’12”)
– Nightmare on Cork Street – Dir. Lucas Paio (1’00”)
– Super Plunf – Dir. Camila Kauling Rumpf e Henrique Luiz Pereira Oliveira (8’41”)
– O Sapato – Dir. Leandro Angare (3’59”)
– Estrela – Dir. David Mussel (1’49”)
– Guida – Dir. Rosana Urbes (11’20”)

MOSTRA INFANTIL (48 min)

– Dalivincasso – Dir. Marcelo Castro e Marlo Tenório (11’)
– Andar de Trem – Dir. Jon Russo (3’28”)
– Ode a Sujeira – Dir. Guilherme Alvernaz (2’18”)
– Sistema Digestório – Dir. Simon Pedro Brethé (2’08”)
– Polvo Paul – Dir. Thomate (3’29”)
– Erros – Dir. Rodrigo Soldado (9’19”)
– Vida – Dir. Gordeeff (2’59”)
– Ninja – Dir. Marão (3’43”)
– Super Plunf – Dir. Camila Kauling Rumpf e Henrique Luiz Pereira Oliveira (8’41”)

SESSÃO OFICIAL – MOSTRA INTERNACIONAL (56 min)

– Villa Antropoff – Dir. Kaspar Jancis e Vladimir Leschiov – Estônia, 2012, 13 min, 2D
– Electric Soul – Dir. Joni Männistö – 5 min – Finlândia e Coréia do Sul, 2013 – Stop Motion
– Fight – Dir. Steven Suboyinick – EUA – 4min – 2D.
– Fly Mill – Dir. Anu-Laura – Estônia, 7 min 30 seg – Stop Motion
– My Name Is Maria – Dir. Elio Quiroga Rodriguez – 04min – Espanha – 2010 – 2D
– I Look & Move – Dir. Irina Neustroeva – 1min 30seg -Rússia, 2012 – Pixilation
– La Funambola – Dir. Roberto Catani – 6 min – Itália, 2002 – 2D
– Niespodzianka – Dir. Tereza Badzian – 10 min30seg – Polônia, Stop Motion – 1965
– Camera Takes Five – Dir. Steven Woloshen – 03min -Canadá, 2002 – Direto na película
– En La Opera – Dir. Juan Pablo Zaramella – Argentina, 1 min – Stop Motion de massinha

Anúncios