Espetáculo “Nós”, no Teatro Gláucio Gill

“No tempo em que as pessoas nasciam de repolhos e as bicicletas voavam”

A frase da escritora e ilustradora Eva Furnari abre o espetáculo Nós, convidando o público a embarcar na viagem de Mel rumo a cidadezinha de Merengue, onde descobre que ser diferente é normal. Estreia no dia 02 de agosto no Teatro Gláucio Gill o espetáculo Nós, inspirado no livro homônimo de Eva Furnari, uma das mais importantes autoras e ilustradoras da literatura infantil brasileira.

Sob a direção de Flávia Lopes, a peça conta através da manipulação de objetos, bonecos, sombras, e do uso de máscaras, a história de Mel (Fabiana Poppius), uma garota que mora na pequena cidade de Pamonhas. Nascida de um repolho mofado e sempre rodeada de borboletas, Mel era alvo constante da chacota de toda cidade, simplesmente por ser diferente dos demais. Logo depois do nascimento de Mel, nasce Plínio, que também é mal visto pelos moradores de Pamonhas por não se comunicar de forma convencional e viver em um mundo particular. Mel, que só tem as borboletas e seu diário, consegue abrir uma porta de comunicação com Plínio através da música. Dois personagens que curiosamente não falam e que são representados por atores utilizando máscaras. As únicas vozes da peça são as do boneco Clóvis, que personifica os outros moradores de Pamonha representados por sombras.

De tanto sufocar os próprios sentimentos, Mel acaba com o corpo cheio de nós, um mais apertado que o outro. Entristecida, ela decide fugir da cidade disfarçada de geladeira. Nessa aventura pelo mundo, a personagem cruza montanhas, mergulha no rio, enfrenta uma vaca brava, até ser engolida por uma baleia e depois cuspida na beira de uma praia.  Lá, ela conhece Kiko (Matheus Lima), que ensina Mel a desfazer seus nós e a ser mais confiante. Juntos, eles criam a história da cidade de Merengue, onde todos os personagens são diferentes uns dos outros e, por isso, um lugar tão especial.

“A peça aborda essa grande aventura que é viver e o entendimento de que a vida é doce e amarga. É cheia de cores, sons e formas diferentes. Fala sobre a importância da amizade, da valorização da vida e das coisas simples. A direção investe nos detalhes e na delicadeza”, destaca Flávia Lopes.

O cenário de Flávia Lopes e Marcelo Dias, composto por telas, faz alusão ao cinema criando um mundo de sombras. A direção de arte e os elementos cênicos, bem como as máscaras confeccionadas por Marise Nogueira e Flávia Lopes são inspirados nos traços e cores das ilustrações do livro e da imaginação da diretora ao enxergar pontos de interação entre o mundo das imagens e do inconsciente.

O figurino tem a influência de imagens e cores de artistas como Van Gogh, Bispo do Rosário (1909-1925) e outros artistas do Museu da Imagem e do Inconsciente, como Adelina (1916-1984) e Fernando Diniz (1918-1999). A trilha sonora de Samantha Rennó foi composta originalmente para o espetáculo, contribuindo para contar essa história interagindo com os personagens.

Serviço
Nós
Temporada: 02 a 24 de agosto de 2014
Dia: sábados e domingos.
Hora: 17h
Ingresso: R$30 ( inteira) R$15 (meia)
Local: Teatro Gláucio Gill
Endereço: Praça Cardeal Arcoverde s/nº – Copacabana.
Tel:  21 2332-7904.
Bilheteria: Segunda a domingo das 16h às 21h
Classificação: 04 anos
Capacidade: 76 lugares

Ficha Técnica
Texto: Eva Furnari
Idealização e direção: Flávia Lopes
Dramaturgia: Flávia Lopes
Interpretação: Fabiana Poppius, Fernando Porto e Matheus Lima