“A Bela e a Fera” – Eu fui!

A minha bela da tarde do último domingo veio de um conto de 1756. A história é antiga, mas o tema está cada vez mais atual. A tradicional história de “A Bela e a Fera” – que tem como principal questão a importância da aparência física – está sendo encenada no Teatro Bradesco Rio até o dia 04 de agosto, em uma montagem imponente. O mote da peça continua o mesmo, mas os recursos utilizados para contá-lo são diversos. Tudo para mexer com o imaginário e com os sentidos de todos os espectadores que vão lá conferir o espetáculo.

Bela, acompanhada do pai e de seu cãozinho Pompom Foto: apetecer.com

Bela, acompanhada do pai e de seu cãozinho Pompom Foto: apetecer.com

Esta montagem também segue o formato de musical, e algumas características humanas são mostradas pelos personagens. Inveja, cobiça, disputa. Além do amor entre uma doce e cobiçada moça provinciana e um príncipe amaldiçoado, cuja aparência é execrada por todos os que o veem pela primeira vez. Jeanne Marie Leprince foi quem criou o conto, mas já houve adaptações no cinema e em musicais da Broadway. A versão em desenho animado era a única que eu conhecia, e é inesquecível para aqueles que a viram durante a infância. Quem não lembra do candelabro, do bule e das xicarazinhas falantes (own)? Pois eles também são levados ao palco de forma muito divertida e graciosa. São os que mais puxam a interação da plateia. Como se precisasse, pois a participação dos pequenos – e dos grandes também – é constante. Durante todo o espetáculo pode-se ouvir as vozes animadas dos espectadores. De todas as vezes que já fui ao teatro, creio que tenha sido o público mais jovem com o qual assisti a uma peça. Só não vou dizer que me senti criança novamente porque a montagem não abusa de “tatibitatis” no texto, nem na interpretação dos atores.

BEF_0061

Foto: apetecer.com

Em um espetáculo que trata de beleza, este é um quesito que não pode faltar. Figurino, caracterização de personagem, cenário, tudo é muito bonito e faz o público se sentir dentro da história, tanto quanto no desenho animado. Destaco o frisson que Bela causa nas meninas com o vestido que usa no jantar de gala. Quanto à cenografia, tanto a vila da protagonista, quanto o castelo da Fera são retratados de forma exuberante. Até uma neve improvisada surge para representar o inverno francês. Uma projeção serve para os momentos em que efeitos tecnológicos são utilizados. O universo lúdico é explorado também com recursos de aromatização em todo o ambiente. Tudo para deixar o clima ainda mais encantador.

A montagem teatral é muito bem feita, e espero que o tema da peça tenha sido passado de forma eficiente. Em um tempo em que a aparência física é superestimada, é de grande relevância passar para as novas gerações, logo no início da vida, a importância de se valorizar a essência do ser humano. Ainda mais o espetáculo sendo encenado em um teatro dentro de um shopping center, ambiente em que a questão da beleza é ainda mais cultuada. Pelo menos a cultura está fazendo sua parte. Tanto levando essas discussões para os palcos, quanto não deixando ser esquecida uma obra do século XVIII.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“A Bela e a Fera” está em cartaz até o dia 04 de agosto, no Teatro Bradesco Rio, no shopping Village Mall. Veja detalhes abaixo:

SERVIÇO:
Espetáculo: A Bela e a Fera
Data: 01 e 02 de agosto

Horário: sábado: 15hs e 18hs e domingo: 15hs
Classificação: livre
Duração: 1h40 minutos
Ingressos: Frisas: R$ 40,00; Balcão Nobre: R$ 80,00; Plateia Alta: R$ 120,00; Plateia Baixa: R$ 175,00 e Camarote: R$ 135,00.
P.S.: Agradeço à Debs Comunicação pelos convites.

 

Número 4 no nosso Top 5 2014:

https://palcoteatrocinema.com.br/2014/12/06/top-5-eu-fui-musical/


Anúncios