“Cássia Eller, o musical” – Eu fui!

Na linha dos musicais em que grandes nomes da música popular brasileira são os protagonistas, está em cartaz até o dia 20 de julho “Cássia Eller, o musical”. Já aconteceu parecido com Tim Maia, Elis Regina e Cazuza, por exemplo. Agora é a vez de vida e obra da cantora, morta precocemente em 2001, aos 39 anos, serem representadas. A iniciativa é válida para manter a memória desses ícones sempre viva para parte do público e para quem ainda não conhece, descubra.

“Cássia Eller, o musical” começa a contar a história quando Cássia tinha apenas 18 anos. Fala de sua paixão pela música – e o quanto foi uma jovem reclusa e tímida – , seus primeiros amores, e como esses fatores afetaram o relacionamento com sua família. E segue narrando o desenrolar de sua carreira, até conseguir chegar no auge. Dos perrengues do início, até a difícil conciliação que a artista tinha entre compromissos, fama e vida profissional.

Na árdua tarefa de viver Cássia Eller no espetáculo está Tacy de Campos. Mas tanto na interpretação dos textos, postura de palco e números musicais, a cantora/atriz se sai muito bem. Com um roteiro musical que inclui numerosas 34 canções, o desempenho dela sobressai na vigorosa interpretação de  “Nós” (Tião Carvalho) – muito aclamada pelo público -, na romântica “Je ne regrette rien” (Michel Vaucaire) – estopim para o início da choradeira dos espectadores – e no mega sucesso “Malandragem” (Cazuza e Frejat), em que até arrisca chamar a plateia para cantar junto.

O restante do elenco é composto por outros atores e cantores. Dentre eles, chamam a atenção Emerson Espíndola, que interpreta – entre outros personagens – Nando Reis, e faz com Tacy de Campos um belo dueto em All Star (composta pelo próprio Nando); e Evelyn Castro que, além de boa voz – encantando o público em “Noite do meu bem” (Dolores Duran) – , demonstra veia cômica. Não podemos também deixar de valorizar a banda que, junto dos atores, executa com competência todas as músicas do espetáculo.

Em um tempo em que são realizados tantos espetáculos grandiosos, surge um em que estrutura, figurino e cenário são simples. Pois o que importa mesmo é a música, que ocupa a maior parte da peça. Apesar disto, a casa estava lotada. Com enredo e produção totalmente nacionais, isto mostra que, tanto artistas, produtores e público estão cada vez mais interessados em prestigiar a cultura de nosso país.

 

“Cássia Eller, o musical” fica em cartaz até o dia 20 de julho, no Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro). O ingresso custa R$ 10,00 e as apresentações são às 19h.

 

P.S.: Agradeço à Uns Comunicação pelos convites.


Anúncios