“Maratona” na Sede das Cias – Eu fui!

Imagine passar 42 dias dançando, apenas com alguns intervalos de 10 minutos? O que pode parecer um sonho para alguns, é a “realidade” de 8 participantes de uma ininterrupta competição de dança. Este é o enredo de “Maratona”, espetáculo em cartaz até o dia 30 de junho na Sede das Cias.

Foto: Apetecer.com

Escadaria Selarón, como parte do processo da maratona – Foto: apetecer.com

Confesso que fiquei apreensiva com o que poderia encontrar na peça pois, pelo título, pensei na possibilidade de ser algo interativo (coisa que a-do-go rs). E o início – com uma cena externa, utilizando a bela Escadaria Selarón como locação – serviu para deixar essa ideia um pouco mais forte em minha mente rs. Mas não! Depois de uma primeira prova em que os participantes sobem e descem os 215 degraus, Juan Montoya e Mara – os apresentadores da competição – conduziram-nos para o interior do teatro e de lá pudemos conferir o restante da saga dos incansáveis dançarinos.

“Maratona” possui livre inspiração no livro “Mas não se mata cavalo?”, de Horace McCoy, e retrata uma maratona de dança após a crise de 29, em que muitos se inscreviam na competição para não passar fome. Nesta adaptação carioca, a fome dos participantes é de vitória. Por vezes, vê-se que a disputa é apenas pelo prazer de vencer, pois o prêmio não é o principal atrativo. São apenas pequenos prazeres, coisas que, para quem fica em tamanha prova de resistência, têm muito valor.

Foto: Apetecer.com

Juan Montoya e Mara – Foto: apetecer.com

Isso tudo é instigado por Juan Montoya e Mara. Ele, uma mistura de vários animadores de plateia que conhecemos. E essas referências vão de João Kleber a Silvio Santos, só que alguns tons acima (imagine rs). Ela, mostra-se bajuladora e deslumbrada com o talento de Montoya. Por vezes submissa. Por outras, parece que quer roubar seu lugar na primeira oportunidade. Ambos muito cruéis com os participantes, e intencionalmente canastrões rs. Os personagens, que fique bem claro. Porque os atores são ótimos.

E assim conduzem o espetáculo – ou a maratona, como preferirem – incentivando a competitividade entre os concorrentes. O discurso do fracasso também é muito recorrente. Montoya, sempre apoiado por Mara, utiliza-se deste discurso para mostrar aos competidores como seriam, caso desistam. Discurso este que já vi em alguns processos seletivos por aí rs.

A competição não teria tanta graça sem as músicas que a embalam. A eclética trilha sonora é composta por clássicos de festas, como “O meu sangue ferve por você”, “Cidade maravilhosa”, “Kung fu fighting” e “Hero”.

Foto: Apetecer.com

Um dos casais de competidores – Foto: apetecer.com

Ver “Maratona” é uma maratona também para quem assiste. Não só pelas duas – ou quase isso – horas de espetáculo, como também pelo fato de o esforço dos participantes ser muito bem expresso pelos atores que os representam. Eu, pelo menos, consegui me imaginar na pele deles em alguns momentos.

Nem preciso dizer que indico a peça. Mas, como é maratona, é bom correr (jurei para mim que não faria essa piada infame), pois a temporada já está acabando.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

P.S.: Agradeço à Sede das Cias pelos convites.

 

Temporada: Até 30 de junho

Horário: 20h

Ingresso: R$20 (inteira) / R$10 (meia)

Lotação: 60 lugares

Duração: 90 minutos

Classificação: Livre

Gênero: Comédia dramática

Local: Sede das Cias (Rua Manuel Carneiro, 12, Escadaria Selarón- Lapa)

Informações: (21) 2137-1271

Ficha Técnica

Direção: Diego de Angeli e Gabriela Carneiro da Cunha

Dramaturgia: Diego de Angeli, Gabriela Carneiro da Cunha, Julia Ariani, Lisa Dias Borges, em colaboração com o elenco.

Elenco: Daniel Kristensen, Diana Beherens, Gabriel Salabert, Gabriela Carneiro da Cunha, Izadora Mosso Schettert, João Marcelo Iglesias, Nara Parolini, Pedro Florim, Ramon de Angeli, Thiago Ristow.

Direção de Movimento: Maíra Maneschy

Preparação Corporal: Diana Behrens e Ramon de Angeli

Oficina de Dança de Salão: Antonio Alberto Junior

Iluminação: João Gioia e Wagner Azevedo

Cenário: Joana Passi

Figurino: Tarsila Takahashi

Consultoria de Visagismo: Diego Nardes

Pesquisa Musical: Letto

Operação de Luz: Pablo Cardoso

Programação Visual: Thiago Ristow

Registros do Processo: Clayton Leite, Sonia Basch e Tomás Fage

Produção Executiva: Pangeia cia.deteatro

Direção de Produção: Gabriel Salabert

Realização: Pangeia cia.deteatro, Outra Cia. e Teatro Catapulta

 

Melhor peça de 2014

https://palcoteatrocinema.com.br/2014/12/29/deixa-clarear-musical-sobre-clara-nunes-eu-fui/


Anúncios