Arena Dicró exibe o documentário “Remoção”

“Remoção” é um documentário que mostra o processo de remoção das favelas da Zona Sul nas décadas de 60 e 70. Com direção e roteiro de Luiz Antonio Pilar e Anderson Quack, o filme vencedor da Mostra competitiva de longa metragem documental do RECINE 2013 (Festival Internacional de Cinema de Arquivo) tem única exibição na Arena Dicró, no dia 28 de junho. A entrada é gratuita e a classificação etária é livre.
Com patrocínio da Petrobras, o filme conta através de depoimentos o processo de remoção das favelas da Zona Sul, que deram origem à primeira experiência de criação de conjuntos habitacionais. Pilar e Quack viveram esse processo e querem mostrar para o público como tudo aconteceu. Enquanto que para o Quack foi uma experiência negativa, para a família de Pilar foi a conquista da casa própria. “O Quack e a família dele foram removidos do morro Macedo Sobrinho, em Botafogo, para a Cidade de Deus. Eles foram obrigados! Meu caso foi ao contrário. Eu saí com a minha família da Vila Vintém para o conjunto habitacional, e meu pai comprou um apartamento”, relembra Pilar.
“Eu sempre quis entender como fui parar na Cidade de Deus! Comentei com o Pilar e resolvemos realizar o projeto. A motivação de nós dois foi entender o processo da mudança. Para mim foi doloroso, mas para a família do Pilar foi um degrau na vida deles”, conta Quack.
Entre as favelas removidas mostradas no longa, estão o Parque Proletário da Gávea, na Gávea, Praia do Pinto, no Leblon, Ilha das Dragas e Morro da Catacumba, na Lagoa, Morro Macedo Sobrinho, em Botafogo, e Morro do Pasmado, em Copacabana, que deram origem à primeira experiência de criação de conjuntos habitacionais, criando os conjuntos de Vila Kennedy, Vila Aliança, Cidade de Deus, Cidade Alta, em Cordovil, Dom Jayme Câmara, em Padre Miguel, e a Cruzada São Sebastião.
Durante as filmagens, cerca de 60 pessoas foram entrevistadas, entre elas: moradores que foram removidos, professores, mestres e doutores sobre o tema e os remanescentes mentores e primeiros executores do projeto como Sandra Cavalcanti – Assistente social e secretária no Governo de Lacerda e o Sr. Giuseppe Badolato – arquiteto que projetou a maioria das moradias dos conjuntos. Todos os pontos de vistas são expostos para que o expectador tire as suas conclusões de como realmente tudo aconteceu.
Além dos depoimentos, o longa traz imagens das remoções e uma propaganda eleitoral mostrando o quanto as mudanças foram benéficas para os favelados. No contraponto, testemunho de pessoas que foram tiradas à força e levadas para locais muitas vezes indesejados, sem saneamento básico, transporte, entre outros problemas. Um dos moradores removidos do Morro da Catacumba conta que foi contratado para guiar a equipe de assistentes sociais que fazia o levantamento sócio-econômico das famílias, para que fosse feita a distribuição pelos Conjuntos Habitacionais. Perguntado como era esse serviço, respondeu que era tranquilo, “botava um revólver na cintura e acompanhava aquelas meninas, filhinhas de papai, pela favela”.
“Trata-se de um filme que está em voga. Infelizmente a cidade do Rio de Janeiro não está se remodelando, mas está repetindo o processo de remoções compulsórias sem diálogo, da mesma maneira como fez há 40, 50 anos atrás. É um processo de dominação, e que você acaba percebendo que é de expulsão mesmo do pobre dos grandes centros urbanos”, conclui Luiz Antonio Pilar.
Direção, Argumento, Roteiro – Luiz Antonio Pilar, Anderson Quack

Serviço:
Data: 28/06 (sábado)
Horário: 16h
Local: Arena Carioca Dicró – Carlos Roberto de Oliveira
Endereço: Parque Ari Barroso, Penha (entrada pela rua Flora Lobo)
Telefone: (21) 3486-7643
Entrada gratuita
Classificação etária: Livre

Anúncios